Terça-feira, 17 de outubro de 2017.
Notícias ››   Imprensa on-line ››  

Odebrecht entrega extratos com propina de US$ 65 milhões acertada com Temer

publicada em 16 de maio de 2017
Odebrecht entrega extratos com propina de US$ 65 milhões acertada com Temer
Os comprovantes são de uma propina que delatores dizem ter sido acertada depois de uma reunião com o então candidato a vice e os ex-presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e Henrique Eduardo Alves, todos do PMDB, em 2010. É mais do que os US$ 40 milhões supostamente negociados na reunião com Temer e que já eram de conhecimento com base em informações dos executivos da empresa.

Ouça a gravação:

DURAÇÃO: 5:29
http://m.cbn.globoradio.globo.com/grandescoberturas/operacao-lava-jato/2017/04/22/ODEBRECHT-ENTREGA-EXTRATOS-COM-PROPINA-DE-US-65-MILHOES-ACERTADA-COM-TEMER.htm





Presidente Michel Temer conversa com jornalistas após evento em São Paulo (Crédito: Marcos Corrêa/PR)

Por Basília Rodrigues
A Odebrecht entregou à Lava-jato comprovantes de pagamento de US$ 65 milhões de propina que delatores dizem ter sido acertada depois de uma reunião com o presidente Michel Temer e os ex-presidentes da Câmara Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, todos do PMDB.
É mais do que os US$ 40 milhões supostamente negociados na reunião com Temer e que já eram de conhecimento com base em informações dos executivos da empresa. Planilhas apresentadas pelo delator Rogério Araújo apontam o depósito do dinheiro, em parte, em contas no exterior em um banco no Caribe.
O depoimento dele confirma a versão de outro executivo, Márcio Faria, sobre o encontro em São Paulo no escritório político do então candidato à vice-presidente da república, Michel Temer, em 2010. Rogério participou da mesma reunião.
Ele também disse à investigação que Temer se sentou à cabeceira da mesa, Henrique Alves à sua esquerda e ao lado dele Eduardo Cunha. Perto de Temer, sentaram os executivos da Odebrecht.
Durante o encontro, que durou cerca de 1 hora, o delator afirma que Cunha disse que o contrato iria para a Odebrecht mas em troca o PMDB contaria com ajuda financeira para campanha política, o que foi concordado por Temer. Neste de fim de semana, o presidente falou com vários veículos de comunicação da Espanha com o objetivo de tranquilizar os investidores.
Temer disse que a operação Lava-jato não atrapalha a recuperação da economia, disse que o juiz Sergio Moro cumpre o seu papel adequadamente mas evitou fazer críticas à operação porque qualquer consideração negativa pode ser entendida como uma vontade de paralisar a operação, afirmou o presidente.
A assessoria de Michel Temer se defendeu das acusações repetindo que o presidente contesta de forma categórica o envolvimento de seu nome em negócios escusos. A investigação aponta que a negociação para o pagamento da propina em dólares foi feita dentro da Petrobras com o engenheiro Aluisio Telles, que pediu 3% do valor do contrato de propina, além disso, 4% iriam para o PMDB e 1% para o PT.
A Odebrecht obteve um contrato inicialmente no valor de US$ 825 milhões para atuar em serviços de certificação de meio ambiente e segurança em vários negócios da Petrobras no exterior. Pra conseguir vencer a disputa, a construtora contou com informações privilegiadas e até ditou regras da disputa, como escolher as empresas brasileiras que simulariam interesse no contrato; também ficou combinado um prazo menor da licitação para desestimular empresários estrangeiros.
Houve demora para o acerto do contrato mas o PMDB mandou vários emissários para fazer a cobrança da propina. O delator aponta o nome de Felipe Diniz, filho ex-deputado Fernando Diniz, do PMDB mineiro.
Os extratos bancários e planilhas mostram que os pagamentos foram feitos entre 2010 e 2011. A defesa de Cunha classificou as acusações de absurdas. S reportagem CBN não conseguiu contato com a família Diniz, do PMDB de Minas.
Versão para impressão Envie para um amigo Deixe seu comentário
CBN

Envie esta notícia para seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Enviar para:
envie para vários e-mails separando-os com vírgula

Deixe seu comentário sobre esta notícia

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.

Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››

Contato

Telefone
(61) 35418388
(61) 93094422