Sábado, 06 de junho de 2020.
Notícias ››   Imprensa on-line ››  

Flávio Dino: "Nota do general Heleno é inaceitável ameaça ao Supremo"

publicada em 22 de maio de 2020
Flávio Dino: "Nota do general Heleno é inaceitável ameaça ao Supremo"



Foto: Gilson Teixeira

O governador do Maranhão (PCdoB), Flávio Dino, repudiou nesta sexta-feira (22), a Nota à Nação Brasileira divulgada pelo ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI), general Augusto Heleno.

No documento ele questionou o Supremo Tribunal Federal por encaminhar a Procuradoria Geral da República denúncias-crime contra o presidente Jair Bolsonaro. Para as investigações, o celular do presidente da República poderia vir a ser apreendido. Na nota, Heleno escreve que atitudes como esta poderiam ter “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

“A nota do general Heleno constitui inaceitável ameaça ao Supremo Tribunal Federal. Na República, nenhuma autoridade está imune a investigações ou acima da Lei. E na democracia não existe tutela militar sobre os Poderes constitucionais”, destacou Flávio Dino, por meio de suas redes sociais.

Professor de Direito e ex-juiz, o governador ironizou: “O curioso é que a nota do general Heleno, supostamente em nome da “segurança nacional”, pode ser enquadrada na Lei de Segurança Nacional (Lei 7.170/83)”.

Polêmica

No documento, Heleno opina que a demanda de Celso de Mello é “inconcebível” e mesmo “inacreditável”. O pedido do ministro do Supremo é para dar consequência a três notícias-crime apresentadas por partidos e parlamentares com o objetivo de desdobrar as denúncias do ex-ministro Sergio Moro relativas à suposta interferência de Bolsonaro na Polícia Federal.

A nota divulgada por Heleno traz um “alerta” do GSI “as autoridades constituídas” de que “tal atitude [o pedido] é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”.

Heleno enviou o documento à imprensa e publicou a nota nas redes sociais na mesma tarde em que é esperada a divulgação, por parte do STF e com autorização do mesmo ministro Celso de Mello, do vídeo da reunião ministerial na qual, segundo o ex-ministro Sergio Moro, Bolsonaro teria feito ameaças e exigido mudanças na Polícia Federal em benefício de sua família.

Do Portal PCdoB
Versão para impressão Envie para um amigo Deixe seu comentário
PCdoB

Envie esta notícia para seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Enviar para:
envie para vários e-mails separando-os com vírgula

Deixe seu comentário sobre esta notícia

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.

Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››

Contato

Telefone
(61) 35418388
(61) 93094422