Domingo, 21 de julho de 2019.
Notícias ››   Imprensa on-line ››  

Ibaneis: “Fazer política é quase um exercício para entrar na cadeia”

publicada em 24 de abril de 2019
Ibaneis: “Fazer política é quase um exercício para entrar na cadeia”
Em Lisboa, governador criticou legislação eleitoral e disse que pediu ao Senado a criação de grupo para reavaliar financiamento de campanha



Lisboa (Portugal) – O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), fez críticas à legislação eleitoral nesta terça-feira (23/04/2019), ao participar do VII Fórum Jurídico de Lisboa. O emedebista disse ter enviado, à presidência do Senado, ofício no qual pede que seja criada uma comissão para reavaliar o atual modelo de financiamento de campanha, que atualmente não permite o aporte de recursos de pessoas jurídicas a candidatos.

Ibaneis também questionou a Lei da Ficha Limpa, que torna inelegíveis políticos que tiverem o mandato cassado, renunciarem para evitar a cassação ou forem condenados por decisão de órgão colegiado.



“A Lei da Ficha Limpa criminalizou a política. Está na hora de rediscutir esse tema. A política, como é hoje, consegue transformar um homem honesto em desonesto. Fazer política no Brasil é quase um exercício para entrar na cadeia”, afirmou o governador, que é ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Distrito Federal (OAB-DF).

Ibaneis, que participou do evento promovido pelo Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), teve direito a fala nos dois dias de conferência. Ao encerrar sua participação, avisou que falaria “alto, para ser ouvido, e pouco, para ser aplaudido”..

O governador fez menção ao embate que teve com Moro por causa da transferência do líder da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Willians Herbas Camacho, mais conhecido como Marcola, para o Presídio Federal de Brasília, em 22 de março deste ano.

Na ocasião, Ibaneis afirmou que Moro não entendia de segurança pública. No Fórum, brincou com a situação. “Muito atento a todos os jornais, o [ministro do Supremo Tribunal Federal] Gilmar Mendes quis me penalizar quando eu disse que Moro sabia de corrupção e não de segurança. Então me convidaram para vir mostrar o que sei”, disse. O tema do fórum este ano é “Justiça e Segurança”.

Nesta terça-feira (23/04/2019), Ibaneis afirmou que a fala sobre o ministro da Justiça foi um “excesso verbal” na defesa do DF. “O presídio não está em local adequado. Já pedi escusas ao Moro e vamos entrar num consenso. Não tem nada de guerra com ministro Moro, acho-o uma pessoa extremamente inteligente, mas temos que ter um plano nacional de segurança que chegue na ponta, para o cidadão se sentir seguro”, afirmou.

Apesar de negar a existência de um conflito com o ministro da Justiça, Ibaneis não poupou críticas ao pacote anticrime apresentado por Moro durante o fórum e disse que está na hora de o governo federal “assumir suas responsabilidades”.

“São os estados que fazem segurança. Nós organizamos a polícia. Quem mantém tudo funcionando somos nós. Só vamos conseguir resultados nessa área com redistribuição de recursos”, argumentou o governador.
Versão para impressão Envie para um amigo Deixe seu comentário
Metropoles

Envie esta notícia para seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Enviar para:
envie para vários e-mails separando-os com vírgula

Deixe seu comentário sobre esta notícia

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.

Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››

Contato

Telefone
(61) 35418388
(61) 93094422