Terça-feira, 16 de outubro de 2018.
Notícias ››   Imprensa on-line ››  

Odebrecht pagou propina de R$ 23 milhões a Serra, mostra documento da Dersa

publicada em 05 de junho de 2018
Odebrecht pagou propina de R$ 23 milhões a Serra, mostra documento da Dersa
Por Nocaute 



Segundo a reportagem de Mario César Carvalho, na Folha de S. Paulo, documento confidencial da Dersa, empresa responsável por obras rodoviárias de São Paulo, mostra que a estatal pagou R$ 191,6 milhões à Odebrecht. Segundo delação, a Dersa só pagou o valor após a empreiteira acertar uma propina de R$ 23,3 milhões a José Serra (PSDB).

A informação está no inquérito que investiga o pagamento de propina ao então governador, José Serra (PSDB). Segundo reportagem da Folha, a Odebrecht recebeu R$ 191,6 milhões da Dersa, por meio de um acordo de 2009 que foi fraudado, segundo um documento sigiloso da estatal. Ele faz parte de um inquérito que apura o pagamento de suborno ao então governador, José Serra (PSDB).

Segundo a delação da Odebrecht, a Dersa só aceitou pagar 191,6 milhões, hoje equivale a R$ 463,8 milhões, após a empreiteira acertar uma propina de R$ 23,3 milhões a Serra. O dinheiro seria utilizado na campanha presidencial de 2010, em que foi derrotado por Dilma Rousseff. A fraude teria ocorrido dentro da estatal, de acordo com um perito contratado para analisar o processo judicial e o acordo com um braço da Odebrecht para rodovias, a CBPO.

A Dersa alega que ela que deveria ter recebido R$ 532,4 mil, o correspondente hoje a R$ 1,5 milhão, já que a empresa havia feito adiantamentos à CBPO.

Em janeiro de 2001, a CBPO entrou com uma ação contra a Dersa na qual cobrava R$ 93,7 milhões na época (R$ 321 milhões hoje).

A CBPO perdeu em primeira instância, mas a Dersa deixou de aplicar correção monetária nos pagamentos que atrasara.

Um perito judicial calculou o débito em R$ 532,4 mil em 2006. A Dersa tentou reverter o resultado do julgamento no Superior Tribunal de Justiça em 2008, mas perdeu.

Ainda segundo a reportagem da Folha de São Paulo, o ex-executivo da Odebrecht Pedro Novis contou em delação que foi logo após essa derrota da Dersa na Justiça que o então presidente do PSDB, o ex-senador Sérgio Guerra, pediu R$ 30 milhões, atendendo pedido de Serra.

A Odebrecht topou contribuir com R$ 23,3 milhões, ainda segundo Novis, desde que a Dersa acertasse as dívidas que já se arrastavam por cerca de 20 anos.

Em janeiro de 2009, a Dersa assinou um acordo pelo qual concordava em pagar R$ 191,6 milhões em 23 parcelas mensais.

Procurado pela reportagem da Folha, Serra disse que “essa história é um disparate, não faz o menor sentido”.

Em nota, a Dersa disse que “está colaborando e prestando todas as informações solicitadas pelo Ministério Público sobre o assunto, que corre em segredo de Justiça”.

A companhia diz que “se houve conduta ilícita com prejuízo aos cofres públicos, irá cobrar as responsabilidades”.

A Odebrecht afirma que “não comenta o conteúdo das colaborações individuais”, mas diz estar colaborando com a Justiça.
Versão para impressão Envie para um amigo Deixe seu comentário
Por Nocaute

Envie esta notícia para seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Enviar para:
envie para vários e-mails separando-os com vírgula

Deixe seu comentário sobre esta notícia

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.

Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››

Contato

Telefone
(61) 35418388
(61) 93094422