Segunda-feira, 18 de dezembro de 2017.
Notícias ››   Imprensa on-line ››  

Marina se irrita com “esquerdismo” de Molon e Randolfe

publicada em 14 de outubro de 2017
Marina se irrita com “esquerdismo” de Molon e Randolfe
POR FERNANDO BRITO ·



Octávio Costa, experiente observador e das poucas leituras que ainda valem Istoé, escreve hoje em sua coluna Brasil Confidencial que Marina Silva ” atribui o mau desempenho [ de sua candidatura presidencial] à rejeição que a Rede estaria sofrendo principalmente em alguns setores da classe média muito por conta de dois dos mais combativos parlamentares do partido.


Marina tem os dois atravessados na garganta desde que não votaram pelo impeachment de Dilma Rousseff e não anda satisfeita com a oposição que estes fazem ás reformas que retiram direitos dos trabalhadores, o que, segundo a nota, levando os eleitores “a identificar o novo partido como ‘um puxadinho do PT’, o que acabou por respingar em sua imagem (a dela, naturalmente).

Só se foi na imagem de omissa, ausente, alheada, “to nem aí” que tem durante 99% do tempo, só aparecendo para entrevistas do tipo “ninguém presta, só eu”.

Marina quer parlamentares que, por uma razão ou por outra, afundem e desapareçam, como fez, para prejuízo do país, Miro Teixeira, que já foi, tempos atrás, uma das lideranças do Congresso. Agora, anda tão sumido que, qualquer dia, colocam a foto dele nestas caixas de leite onde se tenta achar pessoas desaparecidas.

Diz Octávio que Marina que se parecer com uma pessoa “fora da política”:

A estratégia de Marina parte da seguinte premissa: os eleitores estão atrás de novos nomes, que não tenham sido contaminados pelos vícios da política. Mostram-se refratários aos tradicionais quadros da vida nacional. Embora tenha sido ministra no primeiro governo Lula e senadora pelo PT, Marina acredita que pode se enquadrar nesse figurino.

Bem, de fato aí talvez se possa achar a única verdade em Marina Silva, o falso papel de velha representante da “nova política”, que despencou junto com o jatinho de maracutaica origem de Eduardo Campos.

Marina é a verdadeira falsidade, com a natureza quieta e imóvel da traíra.

É o primeiro agrotóxico orgânico: onde ela passa, nada brota.
Versão para impressão Envie para um amigo Deixe seu comentário
Fernando Brito, Tijoçaço

Envie esta notícia para seus amigos

Seu nome:
Seu e-mail:
Enviar para:
envie para vários e-mails separando-os com vírgula

Deixe seu comentário sobre esta notícia

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.

Comentários

Nenhum comentário ainda foi registrado.
Seja o primeiro a comentar! Clique aqui ››

Contato

Telefone
(61) 35418388
(61) 93094422