Como surgiu o Dia do Professor?

E, enfim, o Dia dos Professores se tornou oficial. No dia 14 de outubro de 1963, o então presidente João Goulart assinou o decreto nº 52.682. O texto definiu o dia 15 do mesmo mês como o Dia do Professor no país – e que naquela data seria feriado nas escolas. Além disso, o decreto instituiu que fossem feitas, na mesma data, solenidades em homenagem aos mestres.

Como surgiu o Dia do Professor?

Como surgiu o Dia do Professor?

Andreza Miranda

Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

 

sala de aula carteira quadro branco dia do professor
Afinal, como surgiu o Dia do Professor? (Amanda Dias/BHAZ)

Você sabe que em outubro sempre rola um feriadão nas escolas. Dia das Crianças, Dia do Professor, Nossa Senhora Aparecida… Tudo isso se transforma em um combo conhecido como Semana do Saco Cheio, já que algumas unidades educacionais emendam uma semana de recesso. Mas já parou para pensar como surgiu o Dia do Professor, celebrado no dia 15 de outubro?

Pois aí vai uma informação que você não sabia: a data começou a ser construída em 1827. Isso mesmo! O Dia do Professor começou a surgir ainda no século 19. O imperador Dom Pedro I estabeleceu a Lei Geral, que foi fundamental para a educação no Brasil. Isso porque ela regulamentou questões relacionadas ao sistema educacional.

A lei determinava a descentralização do ensino: todas as principais cidades e vilas do império deveriam ter escola. Sendo assim, os representantes de cada província – o que hoje conhecemos como Estados – ficariam responsáveis pela educação daquele local. E acredite! Essa foi a determinação vigente por mais de 100 anos.

Só seria publicada outra lei sobre a educação nacional no Brasil em 1961. Nesse meio tempo, cada localidade definia como os mais jovens aprenderiam. “A educação primária sempre tinha sido legislada e organizada de acordo com as províncias, no século XIX, e depois com os Estados”, explica ao BHAZ Luciano Mendes, professor da Faculdade de Educação da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

  •  

Direitos iguais para mulheres

Mas o Dia do Professor surgiu de uma lei que previa a descentralização da educação? Não, a Lei Geral abordava tantos outros pontos sobre esse tema fundamental. Veja que curioso o que previa um dos artigos: “as mestras vencerão os mesmos ordenados e gratificações concedidas aos mestres”.

É isso mesmo! Em outras palavras, as professoras deveriam receber a mesma remuneração que os professores. A profissão, que é majoritariamente ocupada por mulheres especialmente na educação básica, acabou tendo o seu dia atribuído à data da criação da lei. “É uma memória que se remete ao dia da sanção da lei”, afirma Luciano Mendes.

E como surgiu o Dia do Professor (de fato)?

Pois bem… O significado do dia 15 de outubro ganhou novas definições ao longo da história educacional, sempre para ressaltar a importância do docente. Assim, um professor paulista chamado Salomão Becker fez uma sugestão em 1947: por que não tornar a data o Dia do Professor? E olhe que curioso: Becker teria sugerido essa celebração para que os professores tivessem um descanso no segundo semestre.

“O Dia dos Professores surgiu porque se tornou algo muito maior do que apenas uma lembrança da lei de 1827. A celebração se remete à ideia de que o dia e a data foram reconstruídos com as lutas travadas no Brasil”, afirma o professor da Faculdade de Educação. Em suma, o Dia dos Professores surgiu muito mais como uma celebração por aquilo que os docentes faziam e fazem pela educação do que à criação da Lei Geral.

E, enfim, o Dia dos Professores se tornou oficial. No dia 14 de outubro de 1963, o então presidente João Goulart assinou o decreto nº 52.682. O texto definiu o dia 15 do mesmo mês como o Dia do Professor no país – e que naquela data seria feriado nas escolas. Além disso, o decreto instituiu que fossem feitas, na mesma data, solenidades em homenagem aos mestres.

Dia dos Professores surgiu para valorizar o docente

E que tal aproveitar o dia 15 para valorizar os responsáveis por ensinar praticamente todas e todos? Afinal, a criação da data é para isso, né?! Infelizmente, falta muito para a valorização da educação sair do discurso para a prática, avaliam estudiosos e professores. “Ao mesmo tempo em que se fala muito bem dos professores e da importância deles, pouca gente se mobiliza de fato para defender os professores”, diz Luciano Mendes.

Em tempos de pandemia, a profissão tem sido ainda mais desafiadora. Por um lado, parcela da população que tem dificuldade em valorizar os docentes associa a ausência de aulas presenciais com ausência de trabalho. “O professor continua sendo uma profissão, não mais nas quatro paredes da sala de aula, mas nas redes sociais, nas reuniões do Meet”, explica Elaine Machado, professora da educação infantil de Belo Horizonte.

Por outro, o professor precisa lidar ainda com a falta de estrutura oferecida por instituições para exercer essa atividade distante dos alunos. “Nesse momento, celebrar o Dia dos Professores é solidarizar-se com a categoria nessa discussão sobre os medos e receios que marcam o retorno às aulas”, afirma Luciano Mendes, professor da UFMG.

O professor argumenta que, em outros países, os professores foram incluídos nas discussões sobre o retorno das aulas – ao contrário do que ocorre no Brasil.

Com todos esses desafios, Elaine Machado não só celebra o surgimento – e o fortalecimento – do Dia dos Professores como aproveita para enaltecer os profissionais. “Ele se reinventam a cada dia, compartilham seus conhecimentos com os alunos, se alegram com a aprendizagem deles e procuram se aprimorar cada vez mais”, resume.

Agora que você já sabe como surgiu o Dia dos Professores, dê um grande parabéns ao seu educador e valorize a profissão!