Blog Página 64

Este "blog" pretente abrir un canal de discussão da soberania brasileira em seu amplo contexto de legalidade constitutcional, seus caminhos e alternativas, que a Nação necessita para sua emancipação.

Busca

Autores

Histórico

Rollemberg: com o rei na barriga

28 de fevereiro de 2017

Rollemberg: com o rei na barriga
*João Vicente Goulart



Não é de hoje que a população do Distrito Federal conhece as atitudes do seu governador Rodrigo Rollemberg.

Além de não cumprir sua palavra com as categorias de funcionários do governo, Polícia Civil, Professores, Técnicos e auxiliares de enfermagem, médicos, Agentes do DER, Agentes do Detran, Metroviários, Na Hora, Ibran, Políticas Públicas e Gestão, Músicos da Orquestra Sinfônica, Servidores da Novacap, da Cultura, etc., etc., o governador é daqueles que se jacta na ironia de pensar que o mundo é subordinado a ele.

Um verdadeiro homenzinho com o Rei na barriga.

Agora, se não fosse triste, vemos o cinismo dele, ao dar risadas e zombar dos representantes do povo do Distrito Federal, chamando-os de “deputadinhos vendidos”, segundo reportagem do site “fatoonline.com.br” que aqui reproduzimos:



Câmara Legislativa de quatro
Rollemberg tem dado gargalhadas quando comenta com seu grupo o resultado da eleição para as comissões permanentes da Câmara Legislativa, diz rindo muito: “Não disse que esses deputadozinhos são todos uns vendidos? Bastou eu acenar com uns carguinhos para eles virem correndo de cabeça baixa e se eu quiser até de quatro pés para a base do Governo”. É triste, vergonhoso e chega a dar nojo, mas é a pura verdade.


Pois é governador, quem ri por último ri melhor! Conhece esse ditado popular?
Espere em 2018, a grande gargalhada do povo, pois mentirosos e traíras são iguais a Pinóquio: cara, corpo e nariz de pau.





*João Vicente Goulart
Diretor-IPG, Instituto João Goulart

postado por Joao Vicente Goulart às 20:42

Comentários

Nenhum comentário foi registrado para este post.
Seja o primeiro a comentar!

Deixe seu comentário

Seu nome:
Seu e-mail:
Escreva seu comentário:
0 caracteres utilizados. Máximo 100 caracteres.

Digite o código contido na imagem ao lado:
Caso não consiga ler o texto da imagem, clique aqui.