Blog Página 64

Este "blog" pretente abrir un canal de discussão da soberania brasileira em seu amplo contexto de legalidade constitutcional, seus caminhos e alternativas, que a Nação necessita para sua emancipação.

Busca

Autores

Histórico

Rollemberg: Um mentiroso no comando do DF

30 de setembro de 2016
Rollemberg: Um mentiroso no comando do DF
*João Vicente Goulart
 
Quem tem o costume de atirar a pedra e esconder a mão, camuflando-se atrás de sucessivas mentiras, inevitavelmente vira o Pinóquio e o palhaço da vez, muito bem interpretado no balão colocado em homenagem ao Governador na frente da sede da Polícia Civil.
Boneco de Pinóquio, o personagem mentiroso, vestido de palhaço, dentro do Comando 
Central da Polícia Civil do Distrito Federal.
 
O Governador Rollemberg age assim, desrespeitando o povo humilde em geral e as mais de trinta categorias que servem o funcionalismo do governo do GDF. Este fantoche, um pseudo socialista, na verdade “socialite”, vem servindo somente as elites de Brasília. O DF, depois de vários governadores frequentadores de cadeia, não merecia presenciar mais esta atuação de um blefe, pífia e mentirosa, de um governante que foge de seus desacertos e coloca a culpa em secretários, deputados, subalternos, atirando a pedra e escondendo a mão, como fazem os covardes e mentirosos.
 
No exercício do governo vem mostrando seus traços de desconsideração com estes servidores, nas suas mais legítimas reivindicações salariais para bem servir a população do Distrito Federal.
 
Diversas categorias protocolizaram uma ação civil pública com pedido de improbidade administrativa contra o governador Rollemberg, que continua negando, choramingando, e dizendo que o GDF não tem capacidade financeira nem recursos para atender esses pedidos. Tudo é culpa do governo anterior, mesmo após quase dois anos de seu novo governo.

 
Mas não lhe falta desfaçatez para contratar novos servidores através de Os´s (Organizações Sociais) como discute-se agora na Câmara Legislativa esta nova forma indireta de torrar o dinheiro do contribuinte do GDF.
 
 
Corrupção na saúde, greves de metrô, de polícia, de professores, são alguns dos desacertos que se tornarão a herança que esse tipo de despreparo, deixa na memória das classes trabalhadoras do GDF.
 
Vejamos:
 
1)“O governador do Distrito Federal Rodrigo Rollemberg determinou a suspensão da compra de 14 motocicletas da marca BMW para o Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF).” Mentira, as motos circulam normalmente e estão rodando com o DETRAN.


3) Sindicalista acusa Rollemberg de corrupção na saúde. 
http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/sindicalista-cita-primeira-dama-e-apresenta-fluxograma-da-corrupcao-na-saude-de-brasilia/
Não param as denúncias. “A ordem é botar para fora quem do governo estiver apoiando a CPI da Saúde ou comentar pelos corredores de que há corrupção no governo”, confidenciou ao Radar nesta sexta-feira (29) um administrador regional que pediu reserva ao seu nome.

4). Na segurança pública Fraga desmonta as mentiras do governador Pinóquio. http://www.bombeirosdf.com.br/2016/09/fraga-mostra-em-numeros-as-mentiras-do.html
5) A educação mínima para a população do GDF está cada vez mais difícil com a greve dos professores que não tem suas reivindicações atendidas pelo titubeante governador Rollemberg.http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2015/10/23/interna_cidadesdf,503617/professores-decidem-manter-a-greve-depois-de-anuncio-de-rollemberg.shtml
 


Midiático, se protege com a ajuda das grandes empresas de comunicação, e assim continua mentindo à opinião pública que não mais engole suas falácias e cinismos, mas vai chegar sua hora, pois não existe mal que para o bem não venha.
Esta vergonha, transvestida de “socialismo”, que persegue os humildes destruindo suas moradias e impedindo os seus assentamentos, através da ação prepotente da AGEFIS, haverá de ter um fim, pois se não for cassado, será inevitavelmente retirado do Palácio do Buriti pela vontade popular das urnas em 2018. Certamente não terá parceiros, para o seu triste e covarde comportamento de traição as classes menos favorecidas; só e abandonado, nem as aves de rapina pousarão em seu destino.
 
Iremos presenciar sua fuga, que de tão pequeno se dará pelo buraco da fechadura do Palácio do Buriti.
 
*João Vicente Goulart
Diretor IPG-Instituto Presidente João Goulart
postado por Joao Vicente Goulart às 14:13

Deltan Dellagnol: O servilismo sectário do Ministério Público

17 de setembro de 2016
Deltan Dellagnol: O servilismo sectário do Ministério Público

*João Vicente Goulart



                   Nem na ditadura, a caricatura da opressão se mostrara tão ridícula quanto a teatral apresentação da denúncia, contra o ex-presidente Lula, pelo procurador Deltan Dallagnol, na coletiva de imprensa magnanimamente preparada, com uma linguagem inapropriada, pois exerceu uma verborreia própria de palanque eleitoral e não condizente com a conduta de uma organização institucional, como deveria ter o Ministério Público.
 
Não bastasse a retórica discursiva e quase sectariamente partidária, praticada pelo procurador durante a apresentação, teatralmente beirando o ridículo após duas horas de discurso, e nada consistente em matéria de provas para embasar a denúncia, o mesmo gesticulava e cuspia, notadamente um ódio contra o acusado, que dificilmente um neófito em direito deixaria de perceber aquela ação como “cobra mandada”, quando se extasiava o orador entre slides projetados como se fossem as luzes da ribalta.
 
-Ele é o COMANDANTE MÁXIMO!

-Ele é o GENERAL DO CRIME!

-Ele é o MAESTRO!

Além do heteroclitíssimo comportamento, notadamente político e dirigido a uma ação sem provas, o imberbe procurador ainda teve tempo para pérolas jurídicas que estão norteando as decisões jurídicas de um novo tempo de “golpes parlamentares” na América Latina.
 
Primeiro o uso de condenações através de teoria do “domínio do fato”, e depois o uso e a manipulação da opinião pública através da grande mídia empresarial para extinguir os setores progressistas, que no voto não conseguem superar, mobilizando um Congresso suspeito e financiado pelas elites financeiras, que traem o povo e derrubam governos eleitos.
 
O procurador nos brinda ainda com o suprassumo da nova formação do Ministério Público:

-“Não tenho provas, mas tenho convicção”.

Ora, não somos uma Nação de idiotas.
 
O poder emana do povo (não mais em seu nome) e por ele será exercido.
 
*João Vicente Goulart
Diretor IPG-Instituto João Goulart
postado por Joao Vicente Goulart às 22:56