Blog Página 64

Este "blog" pretente abrir un canal de discussão da soberania brasileira em seu amplo contexto de legalidade constitutcional, seus caminhos e alternativas, que a Nação necessita para sua emancipação.

Busca

Autores

Histórico

O PDT no tabuleiro: A Rainha pede“tablas”.

13 de setembro de 2012
publicada em 13 de setembro de 2012
O PDT no tabuleiro: A Rainha pede“tablas”.



O intricado tabuleiro de xadrez da política nacional, ainda no campo da esquerda, nos leva a estratégias muitas vezes intrínsecas ao próprio jogo com táticas, às vezes, só conhecidas depois de movimentadas as peças. Bom seria sair sempre com as brancas e tentar de vez o "xeque mate pastor", liquidar a fatura prontamente e inviabilizar os movimentos do "Rei". Mas o jogo é outro, têm-se adversários de peso há anos ocupando os espaços centrais do tabuleiro, entrincheirados em pesadas torres e com a cavalaria pronta para cercar a audácia do jogo da rainha de muita mobilidade.

Entra em cena então o PDT, partido oriundo das lutas trabalhistas e refúgio histórico da Rainha em questão, Dilma, que entrou no jogo pelo time adversário, mas com possibilidades de vir a jogar com as pretas.

A reconstrução da orientação trabalhista passa necessariamente pela modificação de sua direção nacional, um novo time que possa adquirir as lutas, os jogadores e a história do passado, para que este xadrez possa ter mais raízes e desta maneira poder recepcionar a Rainha, caso ela tenha que mudar de lado no tabuleiro.

No xadrez mudar de lado é normal, entregar uma partida é uma tática, e neste caso político, realizar um “enroque” de proteção ao Rei é valido, desde que essa proteção valha apenas para um momento do jogo, pois logo após este momento tem-se que partir, dependendo do volume de opções e peças disponíveis, para a vitória ou empate.

Existem outros guerreiros (PSB) implantados no nordeste deste tabuleiro, que estão se criando, mas por enquanto só robustos cavalheiros e bispos lutando por espaços mais centrais e cavalgando ao lado da Rainha e do Rei, este que, após o enroque, permanece quieto e a espreita no fundo do tabuleiro, mas tentando acalmar a fome destes guerreiros em virem a se transformar em novos reis dentro deste jogo.

Limpar e tirar do armário o tabuleiro do PDT é sempre bom, caso este do jogo em andamento vir a quebrar. Nem que seja para informar aos velhos Reis, donos do jogo, que ganhando a partida através de uma Rainha, a mesma, têm direito a jogar com as peças brancas;
ou, se não, no meio do jogo a Rainha pede “TABLAS”.


João Vicente Goulart.
Diretor do Instituto João Goulart
postado por Joao Vicente Goulart às 18:06