Blog Página 64

Este "blog" pretente abrir un canal de discussão da soberania brasileira em seu amplo contexto de legalidade constitutcional, seus caminhos e alternativas, que a Nação necessita para sua emancipação.

Busca

Autores

Histórico

Aprimorar nossa Democracia:Um dever de todos!

26 de outubro de 2014

Aprimorar nossa Democracia:Um dever de todos!
*Verônica Fialho



Durante muito tempo, como a maioria da minha geração, nascida no período da ditadura e portanto alijada do processo democrático, não me interessava por política, não entendia e não queria entender política. Achava que para saber o que acontecia no meu país bastava assistir o Jornal Nacional e que trabalhando como trabalhei desde os 17 anos, estava fazendo a minha parte, pelo crescimento do meu país . Quis o destino que minha vida se unisse a vida de Joao Vicente Goulart por essas vontades , inerentes a nossa, e que confirmam que o improvável, não é impossível de acontecer. Ao contrário de mim, João nasceu e viveu a política dentro de casa, no exílio e está impresso em seu DNA.Nesses quase oito anos pude ter outro entendimento que gostaria de dividir aqui com meus irmãos brasileiros, todos, sem dúvida, almejando o melhor para o Brasil e para o nosso povo brasileiro, do mais humilde ao mais abastado, sem preconceitos, somos todos brasileiros.

Primeiro: Não basta eleger Aécio ou Dilma, a eleição mais importante é pela aprovação do plebiscito que votará em uma çonstituinte exclusiva para a Reforma Política, nenhum candidato, por mais preparado que seja e por mais amor que tenha pelo Brasil não fugirá da tarefa e terá ,mais uma vez , que governar com um Congresso, que pouco ou quase nada representa a vontade do povo brasileiro. Enquanto houver o voto coligado na proporcional, vc vota no Tiririca e ele leva mais tres candidatos com ele que o eleitor, ate mesmo do Tiririca, não gostaria que estivesse no Congresso. Os Presidentes de partidos fazem uso dessa tática de colocar, o que no comercio chamamos de"boi de piranha", para escoar o resto da "produção", é assim que funciona,o numero de votos do "puxador de votos" leva com ele outros que não tem nenhuma representatividade para o povo brasileiro, para o eleitor.

Segundo: Temos 33 partidos, isso mesmo, 33 partidos, desculpe, não consigo visualizar 33 ideologias diferentes, esses partidos são criados para venderem tempo de televisão, para fazer negócios e mais, nesse novo congresso eleito do dia 5 de outubro, o numero de partidos com representatividade cresceu para 28, ou seja, quem se eleger vai ter SIM que compor com 28 partidos, se não, não aprova projeto, a pauta no Congresso tranca e é assim que funciona no mundo REAL da política que temos no Brasil. Não adianta falar em meritocracia , ate porque o PSDB quando governou tambem dançou conforme a música, mas não quero entrar nessa questão.

O que quero deixar aqui neste post é um alerta a todos que passaram a se interessar por política, que se aprofundem no tema, que pesquisem e irão perceber, por exemplo, que nem tudo que está na Veja é uma verdade absoluta, que quando se fala em leis de mídia, não quer dizer retirar a liberdade de imprensa e sim procurar democratizar a midia, não permitindo que seis famílias detenham 90 % dos meios de comunicação e da manipulação da opinião pública, quando se fala em financiamento público de campanha não quer dizer que nós vamos pagar agora a campanha dessa "cambada", quer dizer que teremos um teto para gastos em campanha, e que os candidatos não serão mais financiados pelas grandes empresas, sejam elas as empreiteiras, as de planos de saúde,as multinacionais de agrotóxicos,as igrejas evangélicas, que terão em seus candidatos eleitos trabalhando para esses financiadores e não pelo Brasil.

Vamos aprofundar o debate,vamos entender o que é voto em lista, o que é coligação na proporcional ou na majoritária,como é voto distrital, o voto proporcional em dois turnos,enfim, tantas formulas que existem mundo a fora que podem aprimorar nossa recente democracia.Por hora convido a todos a desfrutarem esse belo momento do nosso país que durante 21 anos mergulhou no escuro dos tempos de chumbo da ditadura.Convido a todos a terem um pensamento crítico e a buscarem através deste pensamento uma maneira real de aprimorar a nossa ainda sofrida democracia, que caminhemos cada vez mais para sermos um país para todos, livre, soberano e justo.

Salve o Brasil, Salve o maravilhoso povo brasileiro!




*Verônica Fialho é estilista, pós graduando em docência do ensino superior e é secretaria Geral do Instituto presidente João Goulart

postado por Veronica às 15:35

Valeu Ministra, moda não é “coisa” de perua!

29 de agosto de 2013
Valeu Ministra, moda não é “coisa” de perua!

A aqueles que nos consideram uma arte menor, coisa de mulherzinha desocupada, sinto muito, quero informar, mas a Moda não é “coisa” de perua. NÃO! Um retumbante NÃO.
A Moda não é “coisa” de perua vestida de oncinha! Exigimos respeito!

A aqueles que ainda desconhecem que, segundo a ABRAVEST (Associação Brasileira do Vestuário) representamos a maior força geradora de empregos da indústria de transformação nacional, que empregamos diretamente 1.183.490, pessoas, atingindo indiretamente um contingente de 4.600.000 cidadãos, que nossas indústrias em 2010 tiveram um faturamento anual equivalente a US$ 47.009.434 bilhões e que nos orgulhamos por representar e prestar serviços à indústria nacional do vestuário, segmento de importância estratégica para o desenvolvimento do nosso país. NÃO!Nossa Moda não é “coisa” de perua!

Mas para além de sermos uma forte indústria de geração de emprego e renda, a moda ainda é arte, é cultura. Não considerar a moda uma manifestação artística e cultural, vai da desinformação ao puro preconceito.

Quando um estilista desenha uma coleção, e traz para as passarelas, que serão fotografadas e vistas ao redor do mundo, um desfile inspirado nas curvas das obras do arquiteto Oscar Niemeyer,como a coleção de Pedro Lourenço de 2010,isso não é arte? Quando uma coleção é sentida, pesquisada e idealizada, levando ao público peças inspiradas no Rio São Francisco, o Velho Chico, como a coleção de Reinaldo Fraga desfilada no São Paulo Fashion Week, na temporada primavera/verão 2008/2009 ,isso não é arte?Quando a marca Forum coloca referências nacionais em suas coleções e campanhas e faz um desfile chamado Carnaval, com cenografia de Joãzinho Trinta, em 2002, isso não é arte, não é cultura, a NOSSA cultura? O que é então?

Um quadro comprado após um vernissage?
Uma escultura adquirida após uma exposição?
Um CD de uma banda escutado após um show?
Um DVD assistido após a estreia de uma produção cinematográfica?
Por que então não é arte uma peça comprada após um desfile?
Onde está a diferença?
Por que a moda é uma arte menor?
Por que a moda continua sendo coisa de perua vestida de oncinha?

Mais do que expressar a nossa arte, mais do que expressar a nossa cultura, a moda gera empregos diretos, acima citados pelos dados da ABRAVEST, e os indiretos, os invisíveis, das artesãs, das bordadeiras, das costureiras escondidas nas comunidades carentes desse país afora, sem reconhecimento público, sem garantias de trabalho e de emprego , artistas sem rosto que contribuem para o sucesso da nossa indústria criativa , que sustentam suas famílias com o resultado desse trabalho suado e ainda pouco reconhecido. Será que isso também é coisa de perua? Acho que não.

A Ministra Marta Suplicy, marcou um golaço! Demonstrando ter visão e sensibilidade concedeu a captação através da Lei Rouanet de incentivo fiscal, de cerca de R$ 7 milhões para três dos nossos melhores representantes da moda brasileira, a fim de realizarem desfiles dentro e fora do nosso país. É bom lembrar que a Lei Rouanet, não é sinal de que esses estilistas terão acesso a esse valor diretamente, a Lei simplesmente os credencia para buscar patrocinadores que queiram investir o valor que pagariam em impostos, em projetos apresentados por esses profissionais. E acreditem, existe aí um longo caminho, mas é um primeiro passo, um primeiro passo para o reconhecimento do mercado da moda brasileira como “coisa” séria, artisticamente, culturamente e economicamente em nosso país.

Enquanto na França, o governo investe e apoia a criação do Centro Europeu de Têxteis Inovadores, um espaço de 15 mil m² inaugurado em outubro passado, com investimento de 40 milhões de euros, estrategicamente situado no norte da França, onde funciona um polo têxtil desde a Revolução Industrial, aquí se faz um carnaval porque um Ministério credencia para captação , através de renúncia fiscal de cerca de R$ 7 milhões para colocarmos a nossa indústria da Moda em centros de referência da indústria como Paris e Nova York.

Vamos pensar a moda com a seriedade que ela merece, como arte, como cultura , como demostração da nossa brasilidade, como a capacidade que temos como criadores e geradores de trabalho, emprego e renda.

Meus cumprimentos a Ministra Marta, que a despeito da visão retrógrada e preconceituosa de parte da nossa sociedade, deu um corajoso passo no reconhecimento do papel da Moda em nosso país.

Verônica Fialho.
Estilista e diretora do Instituto João Goulart
postado por Veronica às 16:46

Meu primeiro post- "O País que Jango sonhou para mim"

23 de abril de 2011

O País que Jango sonhou para mim.







Olá,meu nome é Verônica e relutei bastante em começar a escrever neste espaço.Primeiro porque não sou jornalista,nem escritora,muito menos historiadora.Sou uma cidadã comum,que teve um dia um encontro que modificou a sua vida.Esse encontro foi com a história  do meu país,mais especificamente com a história de Jango e de seu governo e é sobre  esta transformação, que  quero hoje, falar com você.

Nascí em 1966,em plena ditadura, em uma família nacionalista,meu pai,como funcionario da Petrobras,era Getulista e mesmo nesta família,quando se falava de João Goulart,diziam que o Jango tinha fugido...

Estudei, quase toda minha vida, em escolas publicas,desde as mais bacanas,no Rio Grande do Sul,até as mais ,infelizmente esculhambadas, do Rio de Janeiro e mesmo após a redemocratização,mesmo em uma escola paga com o dinheiro do povo,meu país nunca me contou a história real do Presidente João Goulart.Hoje posso afirmar que Jango é um dos personagens mais injustiçados da nossa história,que nós brasileiros devemos lutar para colocá-lo no lugar que ele merece,como um grande Presidente Trabalhista,um democrata,um homem realmente preocupado com o nosso país ,com as lutas socias,com a nossa independencia e soberania.Minha vida se divide em antes e depois de conhecer sua verdadeira  história.

Como qualquer brasileira,fui vencendo os desafios que a vida me impos e com 15 anos comecei a trabalhar no comercio,fiz  lá a minha carreira ,de vendedora á supervisora de vendas,depois de representante comercial de tecidos á dona de confecção e, com 37 anos, abrí uma boutique em Ipanema,era este meu grande sonho ,ter meu próprio negócio,ser independente.Minha loja tinha como publico alvo,digamos, a elite carioca,as peças eram bastante caras,uma calça jeans,chegava a custar mais de  um salário mínimo...

Quis o destino, que uma cliente muito especial me apresentasse um dia,o meu marido.Alguns amigos meus quando o conheceram,acharam que não daria certo ,afinal, aparentemente não tínhamos nada a ver um com outro,mas eu sabia,desde o primeiro encontro, que tinha encontado o meu par.Me casei com ele e desde da época de namoro,me chamava muita atenção a maneira apaixonada que ele falava do pai.Para a surpresa de muitos,a dona de boutique se casou com o filho idealista e apaixonado pelas causas pelas quais o  pai viveu e morreu no exílio,Quis o destino que eu me casase com João Vicente,filho do Jango e de Maria Thereza  Goulart.

O Páis que Jango sonhou para mim:

Na convivência com João,não pude ficar imune a história de Jango e a luta de meu marido em resgatá-la ,tendo como grande meta a construção do Memorial João Goulart ,obra do arquiteto Niemeyer ,a ser erguido em Brasília,capital da República e que contará neste espaço,o período ainda obscuro da ditadura,as razoes do Golpe de 64 e as consequencias para nossa sociedade até os dias de hoje.
Com o tempo,fui admirando mais e mais o Presidente João Goulart e os sonhos que ele tinha para o nosso Brasil,fui percebendo que,não fosse o golpe de estado,financiado com verba secreta dos EUA,eu teria crescido e  vivido em um país diferente,um país que me foi roubado,covardemente,ilegalmente.Hoje posso afirmar,EU QUERIA,TER CRESCIDO NESTE PAÍS,neste país que Jango sonhou para mim e para todos nós brasileiros.Nos meus próximos posts,voce vai saber o porquê desta minha certeza.

postado por Veronica às 18:13